A sublimidade do natal
22/04/2015

A SUBLIMIDADE DO NATAL Depois que Jesus nasceu em Belém da Judéia, nos dias do rei Herodes, magos vindos do Oriente chegaram a Jerusalém e perguntaram: "Onde está o recém-nascido rei dos judeus? Vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo". (Mateus 2:1-2) Quem são esses magos? De onde vieram? Ninguém sabe. O que sabemos é o que está registrado nesses versos acima. (A tradição cristã os transformou em reis, em número específico de 3 e lhes atribuiu nomes Baltazar, Melchior e Gaspar). Mas porque esses personagens estão inseridos na história do natal de Jesus? Creio que para nos ensinar, no mínimo 3 verdades preciosas: 1. A UNIVERSALIDADE DO NATAL Mateus, iluminado pelo Espírito Santo, registra esse fato para anunciar que com o nascimento do Messias chegou a plenitude dos gentios (não judeus), ou seja, que as Boas Novas do Evangelho não são apenas para os judeus, filhos de Abraão, mas para todos os povos, línguas e nações. Os magos vindos do Oriente estão começando a cumprir as profecias do Antigo Testamento que afirmavam que o Senhor Jesus seria conhecido e adorado por gente de todo o universo. 2. A SUBJETIVIDADE DO NATAL Os magos vem de longe de Israel guiados por uma estrela e os sacerdotes e levitas de Jerusalém com as Escrituras na mão confirmam o nascimento em Belém, distante 3km, mas não se interessam em ir conhecer o menino. Os pagãos sem o conhecimento teológico, apenas olhando a estrela foram, os religiosos com o conhecimento, ficaram. Acredito que os magos tinham o desejo sincero, dentro do coração, de conhecer a Cristo e que, por isso qualquer estrela os conduziria ao menino. É dentro do coração que acontece o verdadeiro natal. Como diz a canção “nas estrelas vejo a sua mão no vento ouço a sua voz, tudo Ele é prá mim”. Ou como afirma Max Lucado “Se você estiver com o coração aberto, qualquer estrela o levará a adorar Jesus”. 3. A SUPERIORIDADE DO NATAL Alguns afirmam que os magos eram astrônomos e não astrólogos, mas essa diferença só aconteceu a partir do século XVII. Astronomia é a ciência que estuda os astros. Astrologia tem a ver com magia, encantamento e superstição. Eu creio que os magos eram magos mesmo e ao se prostrarem estão se rendendo ao Deus vivo, demonstrando que agora, acabou o tempo da ignorância das magias, pois a Luz completa e perfeita brilhou com fulgor glorioso. Com a vinda de Cristo chegou ao fim a era das superstições, mandingas e patuás. Por meio de Jesus é possível conhecer o Deus vivo, sem intermediações humanas. Com os magos aprendemos que natal é a expressão do amor de Cristo por toda a humanidade, sem distinção de pessoas. Que o natal verdadeiro é dentro de nós, no coração, onde Jesus quer viver. Que neste natal possamos ir até Cristo, e prostrados o adorar, entregando o que temos e somos. Que o nosso natal seja assim. Amém! Pr.Gelson